liderança e resiliência

Liderança e resiliência: 8 maneiras de construir equipes resilientes

A liderança durante a mudança requer uma compreensão diferenciada da resiliência e um toque hábil para encorajá-la de maneiras saudáveis. 

Resiliência, no contexto da psicologia, refere-se à capacidade de se adaptar bem a adversidades, traumas, tragédias ou outras fontes de estresse significativo. 

Ser resiliente é beneficial tanto para os indivíduos quanto para as organizações – como ficou claro após o contexto pandêmico dos últimos dois anos. 

Os líderes sabem bem como a capacidade dos membros de sua equipe de se ajustar positivamente às pressões, mudanças e contratempos do local de trabalho contribui para o desempenho da empresa.

Como a resiliência é um conjunto de habilidades e abordagens que podem ser aprendidas, em vez de uma característica fixa, existem maneiras pelas quais os líderes podem ajudar a construir e aprimorar a resiliência entre seu pessoal. 

Promover a resiliência nas equipes é uma questão de ajudá-los a desenvolver habilidades e mentalidade que apoiem uma resposta esperançosa e orientada para a solução aos obstáculos, desafios e mudanças imprevistas.

No entanto, fazer isso bem requer uma compreensão diferenciada do que constitui resiliência e um toque hábil para encorajar essa capacidade crítica de maneiras saudáveis. 

Aqui estão algumas maneiras pelas quais os líderes podem ajudar os membros de sua equipe a desenvolver e implantar resiliência:

Entenda o que é liderança e resiliência – e o que não é

A resiliência pode ser mal interpretada como a habilidade de se recuperar instantaneamente das dificuldades. Definir ou encorajar a aceitação de estressores no local de trabalho é uma receita para o esgotamento.

Quando a liderança se concentra em construir a resiliência de uma equipe como uma forma de evitar lidar com as causas desnecessárias de estresse que fazem parte da cultura da organização, é aí que mora o problema.

Não devemos tentar meditar para sair de uma cultura tóxica, isso deve ser evitado. Usar a meditação como medicina integrativa no auxílio de uma construção de uma cultura humanizada sim, faz toda a diferença. 

Portanto, é importante que os líderes entendam o estado das coisas na organização e lidem ativamente com os problemas e motivadores do esgotamento. 

Desembale os impactos da liderança e resiliência

Se algo difícil está por vir e você pode avisar seu pessoal, faça isso. A comunicação e a transparência são o combustível do foguete para a resiliência.

Você não precisa ter todas as respostas – em tempos difíceis, as respostas costumam ser descobertas em tempo real. 

No entanto, os funcionários deixados à própria sorte normalmente inventam histórias que são piores que a realidade. 

Compartilhe as informações à medida que as aprende para reduzir o medo do desconhecido e ajudar os membros da equipe a desenvolver seu próprio plano de ação. 

Autonomia e autodeterminação fortalecem o senso de resiliência do indivíduo. Ao desvendar os impactos, também ofereça aos funcionários opções que promovam a autonomia. 

Fale menos, ouça mais – isso reforça a liderança e resiliência

A habilidade de gerenciamento mais útil para construir resiliência naqueles que trabalham com e para você é ouvir

É possível ver que muitos líderes tentam dissuadir seus funcionários do que estão sentindo em situações desafiadoras – tranquilizando-os prematuramente ou dizendo-lhes porque as coisas estão realmente boas ou, porque não deveriam ficar chateados.

Essa abordagem sai pela culatra, fazendo os membros da equipe se sentirem incompreendidos, condescendidos ou ressentidos. 

Em primeiro lugar, seu pessoal sente que você os respeita e se preocupa, o que quase imediatamente os faz sentir menos oprimidos e mais esperançosos. 

E, muitas vezes, ser ouvido ajuda a acalmar as pessoas o suficiente para que elas comecem a ver uma saída para a situação. Por fim, ouvir fornece muitas informações importantes sobre o que é difícil para eles na situação e como você pode ajudar. 

Planejamento estratégico da saúde mental e cuidado com os colaboradores

Nunca ignore uma preocupação, mesmo que pareça sem importância para você, isso ajuda os líderes a construir relacionamentos de confiança

Ouça suas preocupações e faça o seu melhor para resolvê-las. Ajude sua equipe a se concentrar no estado final e no que há de melhor para eles da nova maneira.

Promova a segurança psicológica por meio de uma boa liderança e resiliência

Equipes com altos níveis de segurança psicológica tendem a ser mais resilientes. As equipes podem enfrentar desafios de forma mais eficaz e se recuperar de situações estressantes quando se sentem seguras e apoiadas.

Tornar sua equipe em um lugar seguro para enfrentar os riscos, compartilhar diferentes perspectivas e fazer perguntas incentiva uma mentalidade de resiliência. 

Portanto, quando um evento ou problema significativo está ocorrendo, é importante inclinar-se para a resistência em vez de apenas desligá-la e reconhecer a preocupação, raiva ou perda de membros da equipe. 

Construa comunidades e conexões para que a liderança e a resiliência façam parte da cultura

Uma das ferramentas de gerenciamento de emoção mais eficazes são os relacionamentos.

Embora possa parecer uma perda de tempo para alguns, criar oportunidades para que colegas de equipe se conheçam pode criar conexões e resiliência. 

Para aqueles que não gostam de muita conversa e são mais focados na tarefa, crie oportunidades de aprendizagem onde habilidades e dicas podem ser compartilhadas.

Pensando nisso, reconhecer o impacto que a incerteza tem sobre as pessoas que fazem parte da organização é uma forma de criar uma cultura de resiliência. 

Líderes resilientes conseguem incentivar o time ao adotar uma abordagem calma e metódica para lidar com o futuro, sem deixar de lado a empatia.

Ajude os outros a fazer parte da equipe

A habilidade mais útil para ensinar sua equipe de modo a desenvolver sua resiliência é aprender a gerenciar sua conversa interna. 

Em situações difíceis, ouça com atenção às coisas negativas que as pessoas estão dizendo sobre o que está acontecendo. 

A partir disso, resuma para ter certeza de que você entendeu e pergunte como elas poderiam estar pensando sobre a situação de forma diferente.

O núcleo da resiliência é a mentalidade, portanto, qualquer coisa que você possa fazer para ajudar as pessoas a promover um pensamento mais orientado para a solução é benéfico. 

Os líderes e gerentes também podem lembrar as pessoas das outras vezes em que sobreviveram e prosperaram em situações difíceis.

Adaptabilidade do modelo de liderança e resiliência

Promover a resiliência da equipe começa com liderança. Líderes resilientes mantêm um senso de otimismo diante dos desafios, dão o exemplo para os membros da equipe e mantém sua equipe no caminho certo para atingir as metas.

No entanto, é importante usar a si mesmo como referência de como a organização está indo. 

É possível perceber que os líderes simplesmente tendem a ser mais felizes e menos estressados ​​do que seus funcionários. 

Talvez você espere esse peso e esteja ‘por dentro’, enquanto os membros da equipe não têm o contexto e a visão a que você tem acesso. 

Praticamente, isso significa dar às pessoas um descanso bem antes de sentir que precisa, se adaptando às necessidades da sua equipe e não somente a sua individual. 

Manter esses esforços de longo prazo 

É possível desenvolver resiliência baseada em equipe. Mas construir resiliência é como construir músculos: é um esforço contínuo. Você não pode levantar pesos por alguns dias e depois largá-los para sempre.

Implementar ações que entreguem mais bem-estar, saúde mental e melhoria na qualidade de vida dos funcionários além de melhorar a liderança e tornar as equipes mais resilientes já é uma prioridade de empresas de referência no mercado. 

Conheça a Holos e entenda como ela ajuda essas empresas a melhorar a produtividade e motivação do seu corpo de funcionários através da aprimoração da saúde física e mental!

bem-estar