Estresse: quais os sintomas e como diminuir?

Sentir-se estressado é comum, até certo ponto. Todos nós já sentimos estresse em algum momento da vida e não ache que é um sentimento de todo ruim. Afinal, ele nos ajuda a reagir em diversas situações.

No entanto, quando presente em níveis excessivos em nosso organismo o estresse se torna um agente prejudicial à nossa saúde, podendo causar até mesmo derrames e infartos. 

Nesse artigo, descubra o que é realmente o estresse, quais são os seus tipos e sintomas, os problemas que ele gera e aprenda como reduzir o seu nível. Vamos lá? 

O que é estresse? 

O estresse (ou stress, em inglês)é uma sensação que faz parte da realidade de muitos, e funciona como um mecanismo que o nosso corpo ativa para liberar nossa energia armazenada imediatamente.

Ao sentirmos estresse, hormônios como adrenalina, cortisol, e norepinefrina são liberados em maior intensidade, o que prepara o nosso corpo para uma reação física (lutar ou fugir).

Em épocas em que a humanidade tomava decisões baseadas nos instintos, sentir estresse era muito útil pois ajudava em momentos de agir com rapidez, como por exemplo para fugir de algum predador ou apagar um foco de incêndio.

Atualmente não temos que lidar com predadores e dificilmente apagar incêndios, porém temos outras situações que nos causam stress: provas, trânsito, boletos para pagar, discussões de trabalho, dificuldade de realizar tarefas etc. Todos esses fatores que são gatilhos para causar estresse são chamados de estressores. 

Doses pequenas de estresse podem ser consideradas benéficas e nos motivam a buscar nossos objetivos e organizar nossas demandas. Entretanto, doses grandes são prejudiciais e, afetam diretamente o nosso todo – corpo, mente e alma.

Quais são os tipos de estresse? 

Podemos segmentar o estresse de acordo com sua causa de origem e nível. Baseando nesse aspecto, a Associação Americana de Psicologia definiu três tipos de estresse: agudo, agudo episódico e crônico. 

Estresse Agudo

Considerado o tipo mais comum de estresse, o estresse agudo é uma reação do nosso corpo a uma situação ou fato estressante, que nosso cérebro encara como um desafio. 

Uma multa de trânsito, discussão no trabalho ou recebimento de notícias ruins são exemplos de situações que geram estresse agudo, portanto, geralmente são vivências isoladas não prejudiciais ao organismo.

Porém, em casos mais graves como traumas recorrentes de um assalto, ataque de cachorro, e situações extremas, por exemplo, o estresse agudo pode gerar um quadro chamado transtorno de estresse pós traumático — um distúrbio de ansiedade que afeta diretamente nossos campos psíquico, emocional e físico.

Estresse Agudo Episódico 

Esse tipo de estresse ocorre quando o estresse agudo se torna algo frequente na vida da pessoa. É possível perceber sua presença em pessoas que possuem crises nervosas todos os dias, que encaram tudo com dificuldade e reclamam com frequência. 

Pessoas que sofrem com estresse agudo se irritam com muita facilidade e situações que podem ser consideradas inofensivas, como dificuldade para abrir uma lata, uma porta que bateu pelo vento ou a perda de uma fase em um jogo, desencadeiam reações extremas de estresse como raiva, angústia e ódio. 

Além disso, o pessimismo com a vida se torna parte da pessoa. Situações cotidianas passam a liberar estresse o que aumenta os níveis de ansiedade sem nenhum motivo aparente. Os efeitos em pessoas que sofrem com o estresse agudo são muitos, podendo sofrer com sintomas físicos e psicológicos.

Estresse Crônico 

É quando o estresse já faz parte de tudo relacionado aquela pessoa, desde o primeiro momento que seu dia começa até a hora de dormir o organismo vai liberando doses excessivas dos hormônios do estresse e isso passa a fazer parte do estilo de vida que o indivíduo leva. 

O estresse crônico é capaz de alterar nossa maneira de encarar a realidade, nossa relação com todos e com nós mesmos. Pessoas que sofrem de estresse crônico tendem a não ter relacionamentos de qualquer tipo. 

Assim como no estresse agudo episódico, os sintomas são prejudiciais em todas as áreas da vida, podendo causar inclusive uma redução do tamanho do cérebro, o que leva a perda de neurônios responsáveis pela memória.  

Quais são os sintomas do estresse?

Já sabemos o que é o stress e quais são os seus tipos, agora iremos apresentar os sintomas, causados a longo prazo, e que afetam diretamente o nosso corpo, mente e campo emocional, prejudicando células, músculos e tecidos.

Sintomas físicos 

  • Problemas estomacais (gastrite, refluxo, úlcera etc).
  • Diarreia. 
  • Alergias na pele. 
  • Perda da líbido. 
  • Dores musculares e de cabeça, constantes. 
  • Ganho de peso. 
  • Travamento constante da mandíbula. 
  • Queda da imunidade.
  • Perda de cabelo. 
  • Aumento da probabilidade de infarto e derrame.

Sintomas cognitivos 

  • Perda de memória. 
  • Dificuldade para concentração e foco. 
  • Negatividade frequente. 
  • Dificuldade para lidar com situações de emergência. 
  • Redução do tamanho cerebral. 
  • Ansiedade elevada. 
  • Preocupação excessiva. 

Sintomas emocionais

  • Irritabilidade.
  • Falta de vontade de viver. 
  • Dificuldade para se relacionar.
  • Depressão. 
  • Isolamento social. 
  • Sentimento de vazio existencial. 
  • Incapacidade de sentir calma.

Quais são as doenças causadas pelo estresse?

Como foi apresentado, o estresse é uma reação que desencadeia a liberação de diversos hormônios em nosso organismo, e em excessividade, leva a disfunções hormonais que desencadeiam diversos problemas, como: 

Cultura de benefíciosPowered by Rock Convert
  • Insônia.
  • Depressão.
  • Transtornos alimentares.
  • Problemas cardiovasculares. 
  • Problemas intestinais. 
  • Síndrome do pânico.
  • Bruxismo. 
  • Envelhecimento precoce.

Quais as principais causas do estresse?

As causas do estresse podem variar muito de acordo com o estilo de vida que a pessoa leva, como é a relação dela com a infância e seus familiares, e tudo que forma  a sua personalidade atual. 

Alguma situações que são desencadeadoras de estresse são:

  • Mudar-se para uma casa nova. 
  • Provas importantes. 
  • Cancelamento de compromissos.
  • Perda de transporte público. 
  • Dificuldade no relacionamento com os filhos.
  • Desligamento do emprego. 
  • Falecimento de pessoas próximas. 
  • Dificuldade de conciliamento entre a vida pessoal e profissional.
  • Desavenças no ambiente de trabalho ou familiar. 
  • Ruídos altos em momentos de descanso. 

Assim, as causas do estresse são variadas. Algo que pode ser estressante para você pode ser encarado com leveza por outra pessoa. 

Quando o estresse está ligado ao trabalho?

O ambiente de trabalho, muitas vezes, está diretamente relacionado com o estresse. Por exigir constantemente habilidades cognitivas, emocionais e físicas dos colaboradores, a empresa precisa oferecer um cuidado de saúde mental para que os níveis de estresse não aumentem e gerem diversos problemas.

Para saber se o seu trabalho é a causa do estresse fique atento aos sinais, principalmente quando estiver em momento laboral. Você realmente gosta do que faz? Está entregando seu serviço com excelência? Estar no ambiente de trabalho te causa frustração?

Pergunte a si mesmo e faça uma análise das respostas que obter. 

O stress favorece também a síndrome que é responsável por mais de 30% dos casos de afastamento profissional: a Síndrome de Burnout — conhecida também como a síndrome do esgotamento profissional. 

Como reduzir o estresse?

A redução dos níveis de estresse traz benefícios não somente momentâneos mas também duradouros e que elevam a qualidade de vida. Tudo faz parte de um processo. Aprendemos a lidar primeiramente com nós mesmos e depois partimos para a relação com o outro. 

Antes de tudo, analise-se 

Identificar as causas do estresse é uma tarefa de análise. Então, comece buscando entender o por quê que você manifestou uma reação de estresse em determinado momento. 

Pergunte a si mesmo: o que te levou a agir daquela maneira? Qual foi o gatilho para seu estresse? Como você gostaria de ter reagido?

Anote os motivos em um caderno, identifique o padrão e você poderá criar soluções para evitá-lo. 

Construa relacionamentos saudáveis 

Como nos relacionamos com o outro também está diretamente ligado a causas de stress. Por isso, é importante que busquemos sempre manter relações saudáveis, sejam elas familiares, amorosas ou de amizade. 

Lidar com seres humanos pode ser difícil e trabalhar com pessoas muitas vezes é um desafio, porém devemos nos lembrar que quando nos relacionamos bem o outro estamos trabalhando também a nossa relação com o nosso eu. 

Pratique exercícios físicos

Grande aliada na nossa saúde, a prática de exercícios físicos gera também uma redução dos níveis de estresse devido a diversas liberações hormonais como de adrenalina, cortisol, GH e glucagon, que atuam como agentes em nosso corpo trazendo equilíbrio e disposição.

Além disso, durante a prática de exercícios físicos a nossa mente fica focada e favorece um desligamento de situações relacionadas ao mundo exterior — conheça os incríveis benefícios do yoga. 

Medite, a meditação será uma grande parceira

Meditar é uma prática, assim como a prática de exercícios físicos ela nos exige persistência e foco para nos ajudar a atingir resultados. 

Os benefícios da meditação são extremamente favoráveis para nosso corpo e mente, gerando uma redução dos níveis de estresse e ansiedade. Além disso, ela promove o autoconhecimento e aumenta nossa qualidade de vida. 

Procure ajuda profissional 

Não tenha medo de buscar ajuda, o mercado conta com diversos profissionais preparados para combater o estresse. Conversar com um especialista abre nossa mente e nos ajuda a enxergar as situações de outros ângulos. 

Lembre-se que o estresse é uma sensação comum a todos os seres humanos, só devemos aprender a controlá-la. Assim, é um elemento importante nos cuidados com a saúde mental, principalmente durante a pandemia, saiba mais sobre o assunto neste post


bem-estarPowered by Rock Convert