ansiedade no trabalho

Ansiedade no trabalho: de onde ela vem e como cuidar?

Ansiedade é um termo geral para vários distúrbios que causam nervosismo, medo, apreensão e preocupação.

A ansiedade é uma característica do sentimento humano. Entretanto, quando ela se torna frequente e diária em nossas vidas isso passa a ser um problema. Ao sentirmos preocupação excessiva ou acreditar constantemente que algo errado irá acontecer isso se passa a ser um transtorno, o que é caracterizado como uma doença psiquiátrica

Uma pessoa ansiosa pode se sentir angustiada, ameaçada, bloqueada e pode transmitir energias negativas mesmo sem conseguir identificar o motivo desse mal-estar. 

A ansiedade pode provocar sintomas físicos, tais como arritmia, taquicardia, tonturas, boca seca, dificuldade respiratória como também mentais como dificuldade de concentração, tremores, paralisação, dificuldades de falar em público, entre outros. Tudo isso afeta a qualidade de vida e bem-estar do indivíduo e prejudica a sua rotina diária. 

A doença corresponde a um dos principais problemas de saúde mental ao nível mundial. Todos nós experienciamos ou iremos experienciar a ansiedade. É um problema comum, mas que demanda muita atenção. 

A origem do problema varia de pessoa para pessoa e pode aparecer devido a desequilíbrios do cérebro, falta de suporte familiar, excesso na carga de trabalho, traumas, tensão intensa entre muitos outros fatores. Tudo isso faz com que a pessoa se sinta sobrecarregada e acaba repassando isso para outras pessoas, principalmente por nunca conseguir viver o presente. 

Cada indivíduo tem suas preocupações, ameaças pessoais ou “encanações” e cada um reage de uma maneira diferente quando nos deparamos com os desafios da vida. Quando as reações são muito intensas, que nos impede de nos proteger e lutar de uma forma eficaz ou quando essa reação é completamente desproporcional ao estímulo, se torna uma doença que provoca um sentimento de sofrimento e perdas. 

Além do chamado transtorno de ansiedade generalizada (TAG), existem outros, como pânico, fobias e ansiedade social. O estresse pós-traumático e o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) também são classificados como transtornos de ansiedade.

Qual a diferença entre ansiedade, estresse e medo? 

É bem comum confundirmos o que estamos sentindo, principalmente quando falamos de ansiedade, estresse e medo. 

A ansiedade é caracterizada pela antecipação de sentimentos futuros, uma tensão ou um pressentimento que surge sem que a pessoa consiga identificar inicialmente o motivo que sustente a angústia e que reforce a incerteza do que vai acontecer. 

O estresse, por outro lado, é uma forma de esgotamento, de aviso do organismo que não conseguimos aguentar uma tensão constante, como, por exemplo, uma carga excessiva no trabalho, noites mal dormidas, entre outros. 

Por fim, o medo é uma resposta emocional que sentimos frente a uma ameaça concreta ou objetiva, real ou percebida, como, por exemplo, o medo de ser assaltado ou de algum animal. 

O fato é, distinguir esses sentimentos é um desafio que é muito importante para conseguirmos intervir e fazer o que é melhor para nós mesmos. Uma atitude que nos ajuda a distinguir e tomar melhores decisões é procurar ajuda profissional para compreender o que passamos e trabalhar em estratégias para lidarmos com nossos pensamentos e sentimentos. 

Principais sintomas de quem sofre com a ansiedade

Há diversos sintomas que caracterizam a ansiedade. Sensações de medo, apreensão, tensão além de pensamentos negativos e sintomas físicos podem afetar o funcionamento do corpo e liberar substâncias como noradrenalina e cortisol que aumentam a pressão sanguínea e batimentos cardíacos para preparar o corpo a reagir. 

Além disso, a pessoa geralmente pode hiperventilar e prejudicar ainda mais a sua situação. Há diversos sintomas que envolvem uma crise de ansiedade, tanto físicos como mentais e por ainda ser um tabu muito grande, muita gente sente receio em procurar tratamento. 

Com isso, a atenção ao colaborador é essencial para lidar com os quadros de ansiedade, principalmente no ambiente de trabalho. Alguns sintomas podem ser percebidos, como:  

Sintomas físicos

  • taquicardia;
  • contração gástrica;
  • dificuldades respiratórias;
  • sudorese;
  • boca seca;
  • náuseas ou vômitos;
  • dor de cabeça;
  • diarreia;
  • tonturas ou vertigens;
  • alterações de sono;
  • tensão muscular;
  • zumbido nos ouvidos.

Sintomas psicológicos

  • apreensão;
  • medo excessivo;
  • inquietação;
  • insônia;
  • incapacidade de relaxar;
  • pensamentos catastróficos;
  • enxergar perigo em tudo;
  • medo de falar em público;
  • preocupações em excesso;
  • ficar sempre próximo de ataques de nervos;
  • medos irracionais;
  • inquietação constante;
  • pensamentos obsessivos;
  • perfeccionismo.

Estratégias para contornar a ansiedade

Lidar com as consequências da ansiedade realmente é um desafio que deve ser superado diariamente. É preciso frisar que o diagnóstico da ansiedade é algo clínico, ou seja, baseado nos sintomas sentidos por meio de uma avaliação médica. 

Planejamento estratégico da saúde mental e cuidado com os colaboradoresPowered by Rock Convert

Os tratamentos variam de acordo com cada quadro e pessoa, mas a terapia, cultivo de hábitos saudáveis e terapias complementares ajudam muito a lidar com a condição. Por poder se manifestar de diversas formas e sua origem ser variada, não existe somente um caminho para controlar a doença e sim vários. 

Alterações simples nos hábitos diários nos permite lidar melhor com a ansiedade e podem minimizar ou até mesmo acabar com o problema. Em alguns casos o combate à doença pode passar por intervenções mais especializadas.

Porque tratar e cuidar da ansiedade no ambiente de trabalho?

Ainda há um grande tabu em relação à saúde mental, principalmente no ambiente de trabalho. Entretanto, a saúde mental afeta diretamente o colaborador como também o crescimento de toda a organização. É essencial, portanto, que as empresas dêem mais atenção e cuide de seus colaboradores que possuem algum transtorno mental. 

Prevenir e tratar a ansiedade no trabalho é uma responsabilidade coletiva que deve ser tratada com enorme cuidado. Ao se sentir ansioso ou deprimido, o colaborador pode ter sua motivação, produtividade e foco reduzidos drasticamente. Isso pode gerar afastamentos que prejudicam não somente a empresa como toda a equipe.

É bem claro que, um colaborador doente não é benefício para ninguém. Quanto mais as empresas se atentem às necessidades individuais psicológicas de seus funcionários, melhor será para o crescimento e desenvolvimento da empresa. 

Como a empresa pode ajudar os colaboradores?

A ansiedade no trabalho pode ser causada tanto por gatilhos externos ou internos. Em sua maioria, é comum que o transtorno seja desencadeado por questões internas que são incitadas pelo trabalho como a atribuição excessiva de responsabilidades ou metas inatingíveis. 

Nesse sentido, é importante construir um ambiente de trabalho saudável que preze pelo bem-estar e saúde mental de todos. Algumas ações podem ser implementadas na empresa para isso: 

Tenha uma cultura organizacional voltada para saúde mental

A cultura organizacional de uma empresa diz muito sobre os valores, propósito, missão, crenças e hábitos cultivados no ambiente corporativo. Ela guia as pessoas a agirem diariamente para que a cultura em comum seja fortalecida e que os funcionários trabalhem em harmonia. 

Dito isso, é importante a inclusão e ações que cuidem do bem-estar e equilíbrio emocional. A partir do momento que isso é valorizado na cultura da empresa, todos conseguem entender a importância e relevância disso para o ambiente em que convivem. 

Desmistifique temas relacionados à saúde mental

Quando falamos sobre saúde mental, ainda há muito preconceito e falta de informação sobre o tema. Por isso, quanto mais falamos abertamente sobre, mais fácil é de se quebrar estereótipos. 

Palestras, reuniões e ações para desmistificar o tema e os pontos que ainda não são falados na empresa é muito importante para o crescimento de todos. O RH tem um papel enorme nesse momento, pois é necessário que a área esteja aberta e preparada para lidar com questões relacionadas à ansiedade no trabalho e outras doenças. 

Crie um programa de qualidade de vida no trabalho com terapias integrativas

Criar programas de qualidade de vida no ambiente corporativo se trata de adicionar um conjunto de técnicas e ações cujo objetivo é promover bem-estar dos colaboradores e prevenir doenças e transtornos mentais. 

Práticas meditativas, como mindfulness e meditação têm despertado atenção de pesquisadores e hoje existem evidências científicas de seus benefícios. O princípio é se concentrar na respiração ou em alguma palavra, no agora ou nas sensações corporais, sem brigar ou se apegar às ideias que vêm à mente. Esse treino, com o tempo, promove benefícios para a saúde física e mental. 

Além disso, práticas como yoga, pilates laboral, flexibilização de horários contribui enormemente para que o colaborador fique ativo e se sinta pertencente a empresa. Um programa de qualidade de vida agrega valor para o colaborador e, ao mesmo tempo, contribui para o employer branding. Mais uma vez, todo mundo sai ganhando. 

Ofereça a psicoterapia como um benefício corporativo

Uma outra forma de prevenir e tratar a ansiedade no ambiente corporativo além de outros distúrbios como a depressão e síndrome de burnout é oferecer psicoterapia como um benefício corporativo. 

Por ser um serviço ainda elitizado no Brasil, a aderência dessa ação pode trazer enormes benefícios não somente para o colaborador como para toda a organização. Isso garante uma oportunidade aos colaboradores de terem acesso à prática e desenvolver o autoconhecimento e autocuidado. 

Por fim, a Holos pode auxiliar de forma eficiente e assertiva no cuidado com o colaborador e o desenvolvimento de programas que garantem o bem-estar e saúde mental dos mesmos. Com práticas integrativas e terapias holísticas, nós conseguimos fazer a diferença em toda sua equipe. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossas soluções.

bem-estarPowered by Rock Convert