Employer branding: o que é e como começar a aplicar?

Você, como gestor de pessoas, tem o hábito de visitar o Glassdoor e verificar qual é a nota e os comentários que os colaboradores ou ex- funcionários fazem a respeito da sua empresa? Entrar no site e avaliar esses índices pode ser um bom primeiro passo para você ver por onde o seu plano de employer branding precisa começar.

Isso porque essa é uma grande fonte de pesquisas para profissionais que estão em busca de uma nova oportunidade. Lá, eles conseguem ver comentários de pessoas que já passaram ou que estão na organização visada a respeito do salário, dos benefícios, do clima organizacional etc. 

Já conferiu se você está passando a imagem que deseja? Confira as dicas a seguir e entenda mais sobre employer branding! 

O que é employer branding?

A tradução literal de employer branding, do inglês para o português, é “marca do empregador” e o objetivo dessa estratégia é transmitir uma boa impressão da marca empresarial para futuros integrantes do seu time.

Tendo em vista que a forma como as pessoas que estão de fora veem uma empresa, nem sempre corresponde à ideia que ela quer passar ou ao modo que seus funcionários a enxergam, o employer branding é a melhor forma de estabelecer esse padrão. 

Afinal, a intenção é que o RH consiga controlar seus indicadores mais preciosos, como a taxa de retenção de talentos e o turnover, e, ao mesmo tempo, atrair profissionais com fit cultural e soft e hard skills alinhadas com o que o cargo e a empresa necessitam naquele momento. 

Por que o employer branding é importante?

Com a contratação de profissionais adequados, é possível ter maior garantia de que a permanência deles na empresa será mais saudável e duradoura. Assim, é possível reduzir a rotatividade, fortalecer a integração entre os colaboradores e ter cultura organizacional mais sólida. 

Além disso, uma empresa que trabalha o seu employer branding é capaz de se destacar em relação às demais. Afinal, a forma como trata seus colaboradores e, consequentemente, como isso reflete na exposição da marca diz muito sobre sua capacidade de valorizar talentos e cuidar de pessoas.

Ao procurar uma vaga no LinkedIn, por exemplo, assim como os empregadores desejam atingir os profissionais mais qualificados, os que estão em busca de um emprego também avaliam a qualificação da empresa. 

Por isso, se destaca a organização que tem uma cultura fortalecida, proposta salarial condizente com o cardo, benefícios, incentivo à criatividade, cuidados com os colaboradores etc. Ela conquista aquele brilho nos olhos do profissional, que desperta o desejo de fazer parte daquela organização.

Outros resultados das ações do employer branding são:

  • redução de custos com demissões e contratações sem fit com a empresa;
  • simplificação do processo de seleção para o RH;
  • aumento da produtividade e da performance dos colaboradores;
  • otimização da marca empregadora.

Algumas empresas que fazem isso muito bem são Netflix, Amazon e Google. Exemplos do que é um plano de employer branding bem-executado, elas revelam a necessidade de uma mudança urgente do mindset das empresas. Afinal, hoje, é preciso ir muito além do oferecimento de um alto salário para que um colaborador sinta vontade de fazer parte da sua organização.  

Como montar uma estratégia de employer branding?

Para montar uma boa estratégia de employer branding, é necessário ter um planejamento. Isso envolve montar um projeto, realizar pesquisas de feedbacks e oferecer transparência sobre o processo para seus funcionários. 

Afinal, eles também devem participar, para que a mudança da forma como sua marca é apresentada ao mundo seja, de fato, efetiva. Para ajudá-lo, trouxemos as seguintes dicas, confira! 

Desenvolva um planejamento 

Como todo projeto, a sua estratégia de employer branding precisa de um planejamento. Portanto, defina os seguintes detalhes:

Planejamento estratégico da saúde mental e cuidado com os colaboradoresPowered by Rock Convert
  • líder do projeto;
  • objetivo da estratégia;
  • imagem e discurso a serem transmitidos;
  • táticas utilizadas;
  • prazo para desenvolvimento,
  • indicadores para medir resultados.

Além desses detalhes, lembre-se de identificar, no geral, o perfil de profissional que você pretende atrair para a empresa. Resumidamente, crie a sua persona. Para isso, você poderá fazer uma pesquisa e verificar características que são essenciais em um profissional que vai integrar a empresa. 

Considere seus atuais funcionários

Após fazer seu planejamento, o próximo passo é avaliar os seus times de colaboradores atuais. Isso também ajudará você a entender o que eles têm em comum, quais são seus pontos mais fortes e os de melhoria, a fim montar um perfil mais concreto de persona. 

Ainda, entreviste-os e solicite feedbacks, para conseguir identificar, por meio da visão deles, o que precisa ser otimizado e o que já é positivo na empresa. Esses insumos são importantes para você começar a perceber o que precisa implementar como plano de ação e o que precisa continuar com um reforço positivo.

Em sua pesquisa, lembre-se de elencar tanto os fatores mensuráveis, como salário, benefícios e bônus, quanto os não mensuráveis, a exemplo do clima organizacional, relacionamento com a liderança e incentivo à inovação. Afinal, como foi dito, atualmente, os profissionais buscam mais do que apenas retorno financeiro. 

Invista no ambiente de trabalho

Um ambiente de trabalho atrativo para um bom profissional mantém uma comunicação aberta entre colegas, líderes e liderados. Portanto, investir na comunicação interna, para evitar ruídos e falhas é uma excelente iniciativa, que pode partir do RH.

Ainda, aposte no desenvolvimento de soft skills e hard skills de líderes, e também dos times, para que consigam se comunicar bem e de igual para igual. Ensinar sobre como dar um feedback ou oferecer auxílio no aprendizado de uma ferramenta, por exemplo, ajuda a criar um ambiente de equidade. 

Outros pontos importantes são o fortalecimento da cultura organizacional, a constante atualização dos métodos de realização dos processos seletivos, o oferecimento do período de onboarding e o ensinamento sobre as boas práticas da empresa.

Ao entrar para a organização, o ideal é que o profissional se sinta acolhido, tenha seu tempo de adaptação respeitado, mas também que ele entenda como tudo funciona. E esses sentimentos devem ser despertados já desde o primeiro contato com a empresa.

Aproveite o marketing digital 

Trabalhar as suas redes sociais, blog, site e demais canais on-line é essencial. Hoje, as pessoas buscam muitas informações nesses espaços virtuais para entender como as empresas funcionam e saber a respeito da sua cultura.

Portanto, seu projeto de employer branding deve garantir que sua missão, visão e valores também estejam à vista nesses locais. Lembre-se: esses são os espaços perfeitos para você tirar todas as dúvidas e encantar os seu perfil de profissional.

Ofereça diferenciais 

Além dos benefícios já conhecidos, como plano de saúde e vale-refeição, existem outros tão importantes quanto, para os quais muitas empresas não dão atenção, é o caso da saúde mental de seus colaboradores. 

Doenças como a Síndrome do Burnout podem surgir devido a uma negligência da empresa com relação à sobrecarga de profissionais. Esse tipo de situação pode prejudicar muito a pessoa afetada e resultar na perda de um talento para sua empresa. 

Mas, felizmente, hoje, existem empresas que cuidam dessa parte e ajudam os profissionais de RH na retenção de talentos, oferecendo programas voltados para o bem-estar psicológico de todos. E essa é uma forma estratégica e inteligente de trabalhar o seu employer branding.

Ir além do óbvio e cuidar da sua marca empregadora ajuda você a atrair os talentos adequados, reduzir taxas de turnover e reter profissionais brilhantes. Por isso, não deixe esse planejamento para depois. 

Confira o material do nosso webinar sobre futuro do trabalho e entenda o que esperar!

bem-estarPowered by Rock Convert