autocobrança e perfeccionismo

Autocobrança e perfeccionismo: como lidar?

Lidar com a autocobrança e perfeccionismo nem sempre é fácil e pode ser um desafio lidar com essas características. 

É possível ter uma relação saudável com a autocobrança e perfeccionismo, porém há uma linha muito tênue que pode prejudicar a saúde mental quando se leva essas características ao extremo. 

Apesar disso, ser exigente e perfeccionista também não é uma coisa ruim, pois permite que você dê tudo de si para fazer um trabalho de alta qualidade. 

Isso pode beneficiá-lo muito em um nível profissional. Mas você deve aprender a manter o controle dessas atitudes para que elas não o prejudiquem.

Neste artigo, você pode aprender o que é a autocobrança e perfeccionismo e como lidar com eles para evitar que esses tipos de atitudes prejudiquem você.

O que é autocobrança?

A autocobrança é uma característica da personalidade que tem a ver com o que pedimos de nós mesmos. Caracteriza-se pelos objetivos que estabelecemos para nós mesmos em nossa vida e como nos colocamos diante deles. 

Uma característica da alta autocobrança é que você sempre encontra algo para melhorar. Você nunca se sente satisfeito com o que faz. 

Todos nós estabelecemos uma lista de metas a serem alcançadas, mas para essas pessoas, sua “lição de casa” nunca termina. Com esse mecanismo, é normal entender que estresse, ansiedade e frustração são emoções predominantes.

Essa realidade também pode estar relacionada a medos na pessoa (medo de mudar, não ter recursos para crescer), falta de motivação e baixa capacidade de esforço em geral (não saber dar continuidade a um trabalho que envolve um determinado custo).

Agora, o que é perfeccionismo?

O perfeccionismo é a tendência de melhorar um trabalho sem decidir pensar em terminá-lo indefinidamente.

Na psicologia, o perfeccionismo é a crença de que um indivíduo deve alcançar a perfeição em tudo o que faz. Um perfeccionista fica obcecado com o fato de que tudo o que faz tem os mais altos padrões e atende a todas as qualidades exigidas e desejadas.

Nós tendemos a pensar que o perfeccionismo não é ruim porque nos leva a fazer tudo com perfeição, certo? É como aquela falha típica da qual às vezes nos orgulhamos e acreditamos que reflete nosso gosto requintado e altos padrões.

Agora, o perfeccionismo, em sua essência, não é nem ter altos padrões, mas mais medo. Medo do fracasso, medo de parecer tolo, medo de cometer um erro, medo de ser julgado, criticado e ridicularizado. Em suma, medo de não ser bom o suficiente e não ter a aprovação dos outros.

O medo de não ser bom o suficiente é universal. Todos nós já lidamos com isso. O problema ocorre quando esse medo se materializa em perfeccionismo. O perfeccionismo pode ser muito mais destrutivo do que você imagina. 

Sinta-se livre para expressar suas emoções

Evite planejar tudo, pois assim tudo adquire o significado de obrigatório como se fosse um trabalho, e não nos permite relaxar e aproveitar o momento.

Dê a si mesmo espaço para ter tempo livre sem nada para fazer, pois é difícil tolerar não fazer nada e não pensar que o tempo é perdido, por isso é bom acostumar-se a ter pequenos espaços não estruturados.

As pessoas estão acostumadas a ver diariamente como por trás de um estilo de pensamento e comportamento perfeccionista, algumas pessoas sofrem muito. 

Eles sofrem de altos níveis de ansiedade e sintomas depressivos, até desenvolvem alguns distúrbios. É importante saber ter metas realistas e saber nos exigir sem um custo tão alto.

Como lidar com a autocobrança excessiva

Aprenda a selecionar o que é importante do que não é. Desde quando queremos fazer tudo perfeito, temos medo de deixar algo necessário sem vigilância. 

  • Aprenda a ter mais tempo para fazer tarefas e tomar decisões.
  • Dedique tempo todos os dias ao lazer e ao descanso.
  • Concentre-se no processo das tarefas que você realiza e não tanto no resultado final.
  • Estabeleça metas realistas e alcançáveis.
  • Assuma a possibilidade de cometer erros.
  • Aprenda a pensar de forma mais positiva, detectando aqueles pensamentos que nos fazem continuar exigentes, por exemplo: “Eu deveria estar trabalhando; Eu tenho que fazer melhor; Não vou me sair bem se não investir muito tempo; Eu não deveria perder tempo”, etc. 

Faça terapia para entender de onde vem a autocobrança e o perfeccionismo

Lidar com os problemas do trabalho e tentar ser perfeito o tempo todo pode afetar diretamente sua saúde mental, provocando muito estresse e até mesmo o esgotamento mental. 

Para entender melhor seus limites e porque você sente que precisa ser perfeito o tempo todo, procure ajuda psicológica. 

A terapia pode te ajudar a lidar com essas características que podem ser extremamente nocivas ao longo do tempo. 

Planejamento estratégico da saúde mental e cuidado com os colaboradores

Pratique meditação

A meditação pode auxiliar diretamente no reconhecimento da autocobrança e perfeccionismo, além de atuar na sua saúde mental. 

A prática auxilia no controle da respiração e pensamentos, ou seja, pode ser de enorme valor você conseguir pensar mais antes de agir. Assim, você pode conseguir não se cobrar tanto. 

Como superar atitudes perfeccionistas?

Apesar de complicado, é possível deixar de ser perfeccionista, embora, como em qualquer mudança pessoal, exija um alto grau de comprometimento e disposição para que a referida mudança seja efetiva e permanente ao longo do tempo.

Aqui estão algumas recomendações que podem ajudá-lo no processo:

Reflita sobre sua autocobrança e perfeccionismo 

Este deve ser o primeiro passo, pois permitirá que você reflita sobre o motivo pelo qual se leva a ser um perfeccionista. 

Primeiro, você precisa descobrir e modificar comportamentos limitantes. 

Você tem o exercício de se conscientizar das consequências em sua vida que esse comportamento pode trazer e, a partir daí, trabalhar para encontrar um comportamento mais eficaz.

Conscientize-se de qual é o resultado esperado 

A lição clara é que você deve ajustar o nível de qualidade ao que a outra pessoa espera ao fazer um trabalho para outra pessoa.

Por exemplo, enquanto escrevemos este post, tentamos refletir sobre o que a pessoa do outro lado quer ler.

Reduza o seu nível de exigência: reveja as suas expectativas

Você provavelmente construiu uma crença limitante em torno do que, em sua opinião, são os padrões de qualidade de um bom profissional ou de uma pessoa responsável. 

Entenda que você é humano e que isso implica que você não é infalível e que cometerá erros. Aprenda a aceitar essa realidade. (você pode trabalhar com afirmações positivas).

Limite o tempo para tarefas de rotina

Tome uma decisão consciente de limitar o tempo para tarefas rotineiras. Por exemplo, no trabalho, se você verificar um e-mail várias vezes antes de enviá-lo, considere enviá-lo depois de terminar de redigi-lo, fazendo uma única revisão no máximo.

Peça colaboração ou ajuda 

Você sempre tenta resolver os problemas sozinho? Você tem que parar de ser perfeccionista agora! 

Permita que outras pessoas ajudem, colaborem ou trabalhem para você. No local de trabalho, delegue: encomende trabalhos nos quais você não contribua com um valor especial e diminua as expectativas de resultados.

Como reconhecer a autocobrança e o perfeccionismo? 

Há muitas consequências de ter muita autocobrança. Além de pensamentos negativos e críticos recorrentes, sentimentos físicos desagradáveis ​​também podem ocorrer. 

Aqui estão algumas pistas de que, talvez, você esteja definindo expectativas muito altas para si mesmo.

  • Você se sente ansioso o tempo todo 
  • O sentimento de fadiga é constante
  • Alto fluxo de pensamentos negativos 
  • Você se sente muito estressado 
  • Não consegue finalizar suas atividades por se cobrar demais. 

E agora? 

Agora que você sabe o que é autocobrança e perfeccionismo e como lidar com eles, você pode trabalhar pessoalmente para evitar esses tipos de atitudes e se tornar a pessoa que deseja ser.

Quando você não se permite apreciar suas conquistas e esforços, rapidamente sentirá o desânimo. Como humanos, temos a feia tendência de sempre pensar no futuro.

Ter a capacidade de reconhecer que podemos não ser capazes de fazer algo, que não somos super-heróis com energia ilimitada e que não somos perfeitos nos ajuda a alcançar mais, porque não temos medo de cometer erros.

Então, a partir de agora, quando você embarcar em um novo projeto (no trabalho, no seu relacionamento ou em qualquer outro lugar), tente lembrar: todos nós erramos, afinal somos humanos.

Faça o seu melhor, mas tente aproveitar a viagem. Aprenda com seus erros e se você se sentir sobrecarregado, peça ajuda! 

Nós da Holos, podemos te ajudar com esses temas por meio de nossos talks. Para saber mais, é só entrar em contato conosco.