saúde mental das mulheres

Como cuidar da saúde mental das mulheres no ambiente corporativo?

É comum esperar que as mulheres desempenhem diversos papéis em sua vida pessoal e profissional. O problema é que muitas vezes, essa pressão pode prejudicar a saúde mental. 

Um estudo da Cigna mostrou que 87% das mulheres de 35 a 49 anos que cuidam de crianças ou pais idosos estavam estressadas no trabalho enquanto tentavam conciliar essas responsabilidades.

A Organização Mundial da Saúde descobriu que, enquanto homens e mulheres experimentam doenças mentais na mesma proporção, os padrões desses distúrbios são marcadamente diferentes para as mulheres. Por exemplo, condições como depressão e ansiedade podem ser mais predominantes em mulheres.

As mulheres enfrentam “violência baseada em gênero, desvantagem socioeconômica, baixa renda e desigualdade de renda, status social baixo ou subordinado e responsabilidade incansável pelo cuidado dos outros”, segundo a OMS.

O gênero também pode influenciar a forma como um funcionário é tratado medicamente, desde o diagnóstico até a prescrição de medicamentos.

Listamos aqui algumas estatísticas de saúde da mulher da OMS:

  • Depressão, ansiedade, sofrimento psicológico, violência sexual, violência doméstica e taxas crescentes de uso de substâncias afetam as mulheres mais substancialmente do que os homens em todo o mundo.
  • Os transtornos depressivos representam quase 41,9% das incapacidades por doenças mentais entre as mulheres versus 29,3% entre os homens.
  • A taxa de prevalência de violência contra a mulher ao longo da vida varia de 16% a 50%.
  • Cerca de 80% dos 50 milhões de pessoas afetadas por conflitos violentos, guerras civis, desastres e deslocamentos são mulheres e crianças.

Principais problemas que afetam a saúde mental das mulheres

Existem certas condições que afetam as mulheres de maneira diferente dos homens. 

Não há como negar, mas a forma em que a sociedade trata as mulheres que trabalham afeta diretamente em sua saúde mental. 

Por exemplo, um estudo da Universidade de Columbia descobriu que a desigualdade salarial entre homens e mulheres contribui para as taxas de depressão e ansiedade em mulheres na força de trabalho.

As mulheres também experimentam fatores como assédio ou agressão sexual, discriminação de gênero ou bullying no local de trabalho.

Condições comuns que afetam a saúde mental das mulheres 

Depressão 

A depressão é o principal problema de saúde mental entre as mulheres. 

Aproximadamente 12 milhões de mulheres apenas nos Estados Unidos sofrem de depressão clínica a cada ano, de acordo com a Mental Health America

Fatores de desenvolvimento, hormonais, reprodutivos, genéticos e sociais contribuem para a depressão nas mulheres.

Existem também alguns tipos de depressão exclusivos para as mulheres. Estes incluem transtorno pré-menstrual (TPM), depressão perinatal, depressão perimenopausa e outros.

Ansiedade 

As mulheres desenvolvem transtornos de ansiedade duas vezes mais que os homens, de acordo com pesquisas

No entanto, a Harvard Business Review descobriu que o estresse e a ansiedade no local de trabalho podem ser causados, entre outros fatores, pela “ameaça do estereótipo”. 

A ameaça do estereótipo faz com que as mulheres sofram impactos negativos dos estereótipos de que as mulheres devem realizar tarefas de trabalho mais mal do que os homens. Ameaças de estereótipos também afetam mulheres de minorias com base em estereótipos racistas.

Distúrbios alimentares: 

A National Eating Disorder Association descobriu que duas vezes mais mulheres do que homens são afetadas por distúrbios alimentares, como anorexia, bulimia ou compulsão alimentar. Estes podem ser causados ​​por má imagem corporal, vergonha do corpo, dieta crônica, ansiedade e outros fatores.

Os sintomas desses distúrbios podem variar em intensidade, início e duração, incluindo memórias intrusivas, pensamentos ou humor negativos e mudanças nas reações mentais e físicas.

Como apoiar a saúde mental das mulheres

Quando os líderes de RH apoiarem a saúde mental das mulheres, toda a empresa irá prosperar. 

Planejamento estratégico da saúde mental e cuidado com os colaboradores

Aqui estão algumas estratégias para apoiar a saúde mental das mulheres em seu escritório.

Aborde o assédio no local de trabalho 

O assédio no local de trabalho geralmente afeta os trabalhadores com base em gênero, raça e etnia. 

Encontrar maneiras de aprender e lidar com essas desigualdades estruturais pode ajudar a alcançar um maior equilíbrio na forma como você lida com reclamações de assédio.

Além disso, isso incentiva os funcionários a se sentirem à vontade para relatar incidentes de racismo, misoginia, assédio ou agressão e buscar tratamento de saúde mental.

Promova a diversidade cultural 

Embora seja provável que sua empresa já incorpore alguma forma de treinamento em diversidade cultural, é uma boa ideia revisar sua abordagem a esse tipo de treinamento e avaliar sua precisão e eficácia. 

Com que frequência os líderes de equipe e os trabalhadores atendem às expectativas definidas pelos treinamentos anteriores? 

Como os membros da equipe se sentem sobre o impacto desses treinamentos quando pesquisados? Qual foi o impacto mensurável? 

Um treinamento eficaz em diversidade pode levar a um ambiente mais equitativo para todos os trabalhadores.

Promova a igualdade nos salários 

Meça a diferença salarial entre homens e mulheres em sua empresa e resolva essa diferença onde ela existir. 

Estudos mostram que mulheres negras ou afro-americanas enfrentam a maior diferença salarial em relação aos homens brancos. 

A SHRM sugere fazer uma “auditoria salarial” anual para saber como as mulheres são pagas em comparação com os homens por trabalho semelhante. Você pode medir vários fatores, como educação, experiência e desempenho, e corrigir disparidades à medida que elas surgirem.

Ofereça ferramentas de saúde mental para os funcionários 

Para mulheres, pessoas de cor e funcionários trans, as barreiras ao tratamento de saúde mental são muitas vezes difíceis de superar. 

Dar aos funcionários as ferramentas certas pode ajudar a reduzir algumas dessas barreiras, seja o acesso a materiais educacionais e treinamentos, promover a comunicação de saúde mental no local de trabalho ou ferramentas de diagnóstico que podem ajudar a direcionar os tratamentos ideais.

Maneiras pelas quais as mulheres podem cultivar uma saúde mental positiva

Pratique meditação e entregue-se a tudo o que está acontecendo no momento. 

Dizer “eu me rendo” não significa que você falhou, mas mostra que você está se rendendo ao que está acontecendo, aceitando que seu mundo não é perfeito e reconhecendo que você vai seguir em frente e resolver os problemas.

Encontre algo em que você possa se apoiar para obter força, seja sua fé, meditação, sua família ou amigos.

Cultive uma comunidade à qual você possa recorrer em tempos de necessidade. 

Encontre outras mulheres que estão enfrentando os mesmos problemas que você – indivíduos em um ambiente de trabalho semelhante ou no mesmo nível que entendem os desafios específicos que você enfrenta. 

Reconheça que não há problema em as pessoas terem opiniões diferentes das suas. Não leve para o lado pessoal.

Tire um tempo para você e sua saúde mental. 

Isso pode significar dar um passo para trás da rotina para descansar e rejuvenescer. Ou escolher levar o seu tempo em vez de se apressar para fazer algo, aproveitar os benefícios corporativos, como programas de assistência aos funcionários. Ou apenas tirando um momento para respirar.

Perdoe rapidamente, deixe de lado o ressentimento e siga em frente. 

Concentre-se no seu caminho. Aceite que você está apenas no controle de si mesmo.

A Holos fornece soluções de saúde mental cientificamente comprovadas, adaptadas às necessidades de tratamento exclusivas de cada empresa. 

Os membros podem acessar soluções que vão desde exercícios de mindfulness até a conexão com profissionais de saúde mental. Entre em contato conosco para saber mais sobre o que a Holos oferece.

bem-estar