O novo normal: modelo híbrido de trabalho

Quem imaginou que viveríamos uma pandemia, em pleno século XXI? Muito provavelmente ninguém. Mas, como sabemos, o fato é que muita coisa mudou desde o seu início e tivemos que nos adaptar aos mais diferentes desafios que a crise nos impôs. 

As máscaras faciais e o álcool 70% tomaram conta da nossa rotina. Antes, passar álcool gel nas mãos era algo para se fazer apenas em hospitais, ou um hábito adotado somente por pessoas que se preocupam de forma exacerbada com a higiene. Então, para evitar de nos contaminarmos, tivemos que seguir essas novas regras, além de nos conformarmos com uma fase de distanciamento interpessoal.

As mudanças ocorreram tão rapidamente que ficou difícil encontrar os melhores meios para resolver diversas questões novas que surgiram no nosso dia a dia, principalmente no lado profissional. Então, pensando nisso, vamos agora falar sobre uma dessas possibilidades de adaptação que, com certeza, revolucionou toda a lógica anterior de trabalho: o modelo híbrido de trabalho.

Se você quer saber mais sobre os detalhes desse assunto e como é possível adotar o trabalho semipresencial para gerar mais produtividade e saúde mental aos integrantes da sua empresa, continue a leitura e descubra!

Como está o novo cenário diante da crise?

Como sabemos, a pandemia trouxe um sem-número de reviravoltas no nosso cotidiano. Diante de uma situação em que não havia tratamento terapêutico realmente eficaz e, nem mesmo, uma vacina que freasse a propagação do vírus, a única chance de salvar vidas e não sobrecarregar os sistemas de saúde do mundo inteiro era isolar a população para controlar a transmissão da doença. 

Essa necessidade fez com que líderes de empresas e gestores do mundo inteiro se desdobrassem para encontrar uma maneira de atrelar a segurança do funcionário com a produtividade e rentabilidade de seus respectivos negócios.

Então, uma forma de trabalho que, antes era a exceção, acabou por virar uma tendência: o trabalho remoto. Assim, em meados de março de 2020, quase que como da noite para o dia, as empresas precisaram se adaptar rapidamente ao trabalho remoto. Com isso, processos que antes eram realizados pessoalmente, passaram a dar lugar às ferramentas digitais. 

Muitos profissionais tiveram que se reinventar para poder levar a jornada de trabalho para dentro de suas próprias casas, conciliando, muitas vezes, com a criação dos filhos, por exemplo. Afinal, com as escolas e creches fechadas, era difícil fazer com que as crianças não se tornassem parte disso também. 

Mas, com o passar do tempo, e os governos começarem a afrouxar as medidas de isolamento social, por conta de uma possível diminuição sustentada no número de casos e óbitos, aos poucos, teremos mais disponível do que antes uma nova maneira de trabalhar: o modelo híbrido de trabalho. 

Como funciona o modelo híbrido de trabalho?

Também conhecido como modelo semipresencial, esse modelo reúne características dos dois “mundos”: o home office e o trabalho presencial. É importante lembrar que, mesmo oferecendo várias vantagens, os dias de trabalho remoto poderão não funcionar perfeitamente, no início da sua implementação dentro da empresa. Afinal, como esse modelo mesclado não era o de costume antes da pandemia, adaptações e ajustes durante o processo de implantação deverão ocorrer, até que se tenha o padrão ideal.

Planejamento estratégico da saúde mental e cuidado com os colaboradoresPowered by Rock Convert

Então, podemos dizer que, dentro da esfera profissional, o modelo híbrido é um dos principais representantes do “novo normal”. Com a ideia de mesclar presencial e remoto, muitas empresas perceberam que não é estritamente necessário o funcionário estar presente fisicamente na empresa e que, na realidade, o trabalho semi presencial pode ser uma opção interessante, a ser avaliada. A produtividade dos funcionários, que acabam tendo a possibilidade de variar o ambiente de trabalho, pode gerar menos desgaste em inúmeros quesitos, se tornando uma ótima solução para novas diretrizes da cultura organizacional.

Mas, não pensemos que o contato presencial se tornou obsoleto! Como o modelo é híbrido, vale a pena ressaltar também as vantagens de estar presente no ambiente de trabalho. A primeira delas é a relação humana que, por si só, nos faz sentir mais pertencentes ao mundo, desenvolver conexões e manter uma qualidade de vida maior. Afinal, o olho no olho ainda faz muita diferença para nós, tanto no âmbito pessoal como profissional. 

Além do mais, quando o ambiente de trabalho é um lugar agradável e positivo, os funcionários acabam realmente sentindo falta de estar ali. Então, fica a reflexão para os líderes: os colaboradores da sua empresa sentem falta do modelo presencial? 

Como implementar um modelo híbrido de trabalho? 

A primeira coisa a se pensar quando adotamos o modelo híbrido de trabalho é em quais ferramentas devemos investir para tornar isso possível. Pense em algo que funcione, como a intranet da sua empresa, e que manterá seus funcionários conectados. Existem diversos recursos que podem auxiliar nesse processo. Além disso, é preciso definir uma plataforma para possíveis transmissões, como reuniões de equipe, reunião para balanço, processo criativo, planejamento estratégico, entrevistas de admissão e, até mesmo, para fazer o desligamento de algum funcionário. 

Sim, é isso mesmo que você leu: desligamento de algum funcionário. Com a pandemia, não foram poucas as empresas que implementaram processos de admissão e desligamento totalmente virtuais. Para a admissão, sem dúvidas, isso foi um grande avanço em questão de eficiência e agilidade, porque existem plataformas que cuidam de todo o processo e a empresa não precisa mais se preocupar tanto com cada mínimo detalhe desse acompanhamento.

Sendo semipresencial, algumas etapas no processo de admissão não deixaram de ser presenciais, mas, claro, respeitando todos os protocolos de segurança para evitar quaisquer problemas por conta do coronavírus.

Já para as demissões, seja por meio presencial, ou caso seja pelo digital, em que o profissional de RH esteja fisicamente longe do colaborador, marcar um bate-papo para esclarecer dúvidas, comunicar formalmente questões burocráticas do trâmite e ouvir da pessoa algo que ela tenha a dizer, humaniza a situação e permite que esse fim de relacionamento seja mais harmônico e tranquilo para ambas as partes.

Para falar de mais uma vantagem sobre o modelo híbrido de trabalho, as empresas que decidirem investir nele podem fazer um rodízio entre os funcionários, o que acaba sendo uma relação de ganha-ganha entre a equipe e a empresa — maior produtividade, menos desgaste, e por aí vai. 

Agora, você já conhece as vantagens do modelo híbrido de trabalho e, com certeza, terá muito mais chances de entender se ele é viável ou não para a empresa em que você trabalha. Sempre que pensar nesse modelo, lembre-se da flexibilidade que ele pode proporcionar, o que pode talvez gere mais bem-estar ao time, um ambiente de trabalho mais saudável e que, consequentemente, poderá trazer maior produtividade nos processos de trabalho.

Como vimos, o trabalho semi presencial faz parte das principais tendências pós-pandemia — principalmente para as empresas que querem se tornar melhores lugares para se trabalhar, sem abrir mão da busca por resultados altamente satisfatórios. Afinal, locais e horários fixos de trabalho não necessariamente devem ser traduzidos como promessa de produtividade e eficiência. Então, pesquise bem as ferramentas para tornar esse modelo possível e estude a melhor forma de implementá-lo, para que todos os envolvidos saiam ganhando.

E se você atua em uma instituição que preza pela saúde e o bem-estar dos funcionários, além de seguir essas dicas, aproveite para conhecer as soluções em prol da saúde mental e emocional dos funcionários. Entre em contato com a gente pra saber: assim, você fica por dentro de tudo o que puder para aprimorar seus conhecimentos no assunto e aplicar no seu dia a dia como gestor ou profissional do RH.

bem-estarPowered by Rock Convert